Ainda estamos entrando em meados de Maio, mas o hype pra Mulher Maravilha já existia antes mesmo deles terem anunciado Gal Gadot como a princesa guerreira. Nesses últimos dias antes do lançamento mais aguardado do ano, eu me pego pensando em tudo que eu quero, e não quero ver em no longa. MAS, por hoje, eu resolvi enumerar apenas as três principais coisas que eu mais quero ver no dia 1 de Junho – mesmo que eu saiba que vai ser muito difícil de se concretizar.

Um Filme de Guerra

Quero ver a primeira guerra, quero ver guerra amazona. Quero ver aquelas minas tudo chutando todas as bundas, com lança, espadada, laço da verdade e tudo que se tem direito. Quero que as cenas sejam como seriam as cenas de guerra em filmes com protagonismo masculino, mas que elas levem em consideração que é uma mulher que está na guerra – sem diminuí-la à um símbolo sexual. E quando eu digo que é preciso levar em consideração que é uma mulher que está na guerra não é para deixá-la frágil ou como donzela em perigo, é para que o file realmente coloque a visão de uma mulher sobre toda aquela violência, não o que um homem acha que uma mulher veria naquilo.
Quero ver Diana salvando o Steve Trevor da morte iminente, quero vê-la salvar um bando inteiro de soldados. Quero ver uma história que seja original, mas que também se baseie na história real da guerra. Espero que a história não vilanize só um dos lados da primeira guerra que, em termos históricos, foi muito mais complexa do que o bem vs nazistas da Segunda Guerra Mundial.

Amizade Feminina


Os trailers mostraram que teremos muitas amazonas em cena, então nada mais normal do que esperar que nós vejamos todo tipo de amizade entre elas. O relacionamento de amizade entre mulheres é geralmente representado apenas de uma maneira: nós nos amamos, comemos e gritamos juntas. Mas existem tantos tipos de amizades femininas como de amizades masculinas, por isso eu espero ver Diana ter amigas que: vão correr para ajudá-la a qualquer hora, aquela que aparece só na hora de fazer guerrinha de espada, a outra que gosta de cavalgar na praia junto, aquela que gosta mesmo é de virar o tação de vinho ao luar, a mina que não gosta muito de você, duvida de você mas que na hora da porrada vai correr e matar ao teu lado. Tem também a Etta Candy que, pelos trailers, parece assumir o cargo de BFF da Diana quando ela chega ao continente. Acho que ela vai ser um pouco diferente da versão original da personagem, mas também tô doida pra ver o que eles estão fazendo com ela.

Uma Themyscira Que Não Seja Heterossexual


EU SEI, MAS ME DEIXA SONHAR, OK? Eu queria muito, mas muito mesmo ver a Themyscira que a gente sabe que ela é. Mulheres morando por séculos sozinhas, sem nenhum homem por perto e convivendo sozinhas é óbvio assumir que elas também estão há seculos desenvolvendo relacionamentos românticos entre elas mesmas. Ver a MM como bissexual seria mais uma cereja no bolo, mas eu acho que isso a gente não consegue ver nesse filme. Eu não sei qual a liberdade que a diretora teve de dar sugestões ao roteiro, e eu não sei quanto os roteiristas do filme puderam – ou tiveram a pré-disposição – de abordar essa faceta tão óbvia e esperada da ilha das amazonas, mas ia com certeza ser incrível ter Mulher Maravilha não só como o primeiro filme de uma super-heroína à chegar as telonas (sim, eu estou desconsiderando Elektra), mas também como o primeiro filme de super-herói à trazer uma representação de relacionamentos homoafetivos – no caso, lésbicas e bissexuais.

Muito se espera de Mulher Maravilha, mas por enquanto a gente fica só com as hipóteses e as nossas expectativas para o filme. O filme estréia dia 01 de Junho aqui no Brasil. <3

%d blogueiros gostam disto: