O último episódio de The Walkind Dead, “Now” foi um apanhado de histórias que acabaram por não concluir nada, mas que espero, vão servir de alicerce para o que está por vir.

Atenção, spoilers!! Siga por sua conta e risco.

nkxnc2hv5tssrlbjfvmo

 

Se “Here’s not here” nos brindou com a trajetória de Morgan, o quinto episódio desta temporada não deu desfecho a nenhuma das pontas soltas deixadas no terceiro episódio.

O episódio começa com Rick chegando à Alexandria com a horda de walkers no seu encalço. Não sabemos, porém, como ele escapou do cerco ao trailer, e espero que seja explicado nos próximos episódios (ou não hehe). Não temos a aparição de Morgan (ou o que ele fará com o lobo trancafiado), ou Carol, nem sabemos de Sasha, Daryl e Abrahan. O episódio tem foco nos habitantes de Alexandria e a maneira com que estão lidando com a “nova realidade”.

O fato é que, embora estivessem todos cientes de que o mundo havia mudado, estavam protegidos pela realidade produzida e, diria até que bucólica, de Alexandria.

Temos um princípio de insurgência. Os alexandrinos, deparando-se com a realidade apocalíptica (too late, não?) ameaçam não mais racionar os suprimentos, pois não veem mais propósito, já que se dão conta de que todos vão morrer. Entretanto, Spencer, filho de Deanna, acaba trazendo o pessoal de volta do desespero.

Deanna, por sua vez está ainda imersa no luto, não só pelo marido, mas pelo ideal de comunidade resiliente e, porque não, utópica. Alexandria quase sucumbiu, grande parte da sua população despreparada se foi, muito embora seus esforços de introduzir o grupo de Rick na sociedade buscasse evitar esse desfecho (que pelo que vemos, ela não esperava que fosse tão cruel).
Imaginem vocês o que teria sido de Alexandria se lá não estivessem Carol, Morgan, Maggie e os outros, além de certas habilidades aprendidas por Jessie.

Ainda não consigo confiar na prefeita, ela está bastante abalada, percebendo até que o filho, embora tenha trazido os habitantes à razão, não acredita em uma palavra do que disse. Cheguei a pensar que ela ia se entregar aos zumbis, mas ela percebe que não dá conta dessa nova realidade, e que os alexandrinos precisam de um novo líder. Ela passa a bola para Rick, que vai virar uma espécie de Governador de Alexandria, quem sabe. Eu também não confio muito no Rick, ele já demonstrou que toma decisões burras, mas é o que temos para hoje, não?

Temos uma Maggie entre a esperança e a aceitação. Não sabemos do paradeiro de Glenn, tanto quanto ela não sabe. Vemos o nome de Glenn ser escrito no muro, junto aos mortos, mas ela quer se certificar do que ocorreu com ele e se prepara para deixar Alexandria.
Aaron, que está dominado pelo sentimento de culpa por perceber e assumir que os Wolves encontraram Alexandria por conta das suas fotos perdidas, resolve ajudar Maggie. Não estou certa se esta é a única motivação de Aaron, já que no episódio 11 da quinta temporada, Glenn acaba lutando ao lado dele e o defendendo. Aaron sugere um atalho para sairem de Alexandria evitando a turba que cerca os muros. Há um túnel de uma antiga rede de esgotos, ele mostra a Maggie que tenta evitar que ele o acompanhe, mas Aaron está resignado.

No túnel ele ajuda Maggie a se defender e chegam à uma saída, onde percebem que estão cercados, não havia como evitar os walkers.

Aaron tenta insistir que saiam, mas Maggie tem um rompante, ela parece perceber que é muito arriscado sair, que não quer ter mais esperança, e confessa que está grávida. Embora tenhamos ficado com a impressão de que Maggie havia desistido de Glenn, eles revoltam para dentro e ela limpa o nome dele da parede dos mortos.

A morte de Glenn no quadrinhos torna Maggie uma personagem muito mais profunda e forte, então vamos aguardar o que se reserva a ela daqui em diante.

E agora, meus amigues? O que será que houve com Glenn? Há muitas teorias, uma vez que nos quadrinhos Glenn é morto por uma personagem, Negan, que ao que tudo indica, está por vir no fim da sexta temporada. Eu particularmente tenho poucas esperanças de que ele vá voltar, acho que se forem manter o arco dessa personagem que está para aparecer, teremos a morte de outra pessoa. Afinal Yeun não está nem mais nos créditos dos episódios 🙁

Outra personagem que começamos a ver se desenvolver foi Denise, a aspirante a médica, que está sobrecarregada com os feridos, tentanto desesperadamente pesquisar maneiras de manter Scott vivo. Ela está desesperançosa, até que Tara chega para vê-la e tenta mantê-la confiante, afinal ela é tudo o que eles tem, certo? Denise persiste e consegue, aparentemente uma melhora com Scott. Ela se dá conta que a vida que eles tem ali agora é a realidade que terão que lidar e ponto. Então ela beija Tara 🙂

Temos uma briguinha entre Carl e Ron, filho de Jessie, por conta do paradeiro de Enid. Carl quer procurá-la e Ron, não se sabe se por ciúmes ou por um senso de responsabilidade que eu ainda não havia visto, promete contar a Rick se ele for, fazendo uma chantagem emocional “se você for, vão te procurar e alguém vai acabar morrendo”.
Ron parece inclinado a encarar a realidade, pede para aprender a atirar, se aproxima de Rick e conta sobre os planos de Carl. Não parecem claras as intenções de Ron, se é apenas um garoto adolescente tentando lidar o melhor que pode com o apocalipse, ou se ele tem algum plano obscuro.

Rick segue então para encontrar Jessie, que mais cedo no episódio havia matado uma das moradoras de Alexandria, presa dentro de uma das casas e transformada em walker. Outros moradores a veem e parecem estupefatos. Ela então faz um discurso “Isto é o que a vida parece agora, se nós não lutamos, nós morremos”. Rick dá a entender que ouviu tudo, eles se beijam. Conheço muito pouco sobre a Jessie nos quadrinhos, mas gosto dela se destacando, encarando a nova realidade. Eu ainda não vi comentários do tipo, mas estou aguardando ansiosa (só que não) o machismo de plantão julgá-la por ter um affair com o cara que tirou a vida do seu marido.

Alexandra Breckenridge as Jessie Anderson - The Walking Dead _ Season 6, Episode 5 - Photo Credit: Gene Page/AMC

Assim como Carol, Jessie é uma mulher que sofria com violência doméstica, e que aparentemente está tomando as rédeas da sua vida.

O episódio se arrastou um pouco, assim como o anterior, deixou os fãs um tanto frustrados com a falta de conclusão pra o ritmo frenético de tudo o que ocorreu nos três primeiros episódios. Não acho que foi um ótimo episódio, mas foi necessário. Como disse, vai servir de base para o que se desenvolverá daqui em diante.

O que podemos esperar de Rick comandando Alexandria? Como ele irá lidar com os habitantes, que estão claramente despreparados e desesperados com os acontecimentos recentes? O que aconteceu com o resto to nosso querido time?

Segue a promo do próximo episódio, “Always Accountable”

%d blogueiros gostam disto: