Quando vi o link falando sobre o backlash contra o filme da Mulher-Maravilha eu ri. “Deixa eles chorarem sozinhos, eu pensei” – vida que segue. Não deu um dia completo e começaram a surgir novos links falando sobre “as críticas”, “as feministas” e o tal “backlash” contra o filme da MM. Aí eu suspirei e me perguntei PORQUE DIABOS VOCES QUEREM ME FAZER FALAR SOBRE O SOVACO DA DIANA, CARAMBA?

MAS, aqui estou eu.

A primeira coisa a se considerar sobre isso tudo é que QUATRO TWITTES não são “crítica” da maneira que os títulos de posts tentam fazer soar e muito menos são backlash. Backlash é aquilo que acontece quando um filme com protagonistas femininas fora do padrão donzela ousa ser lançado, é quando um bando de homens brancos desocupados resolvem fazer um grupo em chan pra dar dislike em trailer de série ou para dar nota baixa pra um filme que ainda não foi lançado.

O que aconteceu com Dear White People, Ghostbusters e tantos outros é backlash. Quatro twittes… Não.

“Trailer de ‘Mulher-Maravilha’ é alvo de crítica por conta das axilas depiladas de Gal Gadot” Não.

Eu só resolvi tocar no assunto porque, obviamente, os blogs e sites nacionais não poderia deixar passar esse FURO JORNALSTICO e também escreveram sobre o assunto. E assim como se espalha ódio, se espalha desinformação, por isso acho importante responder a esse tipo de situação.

Longe de mim querer dizer o que a mídia deve reportar ou não, mas sei lá. Quatro twittes perdidos não me parece ser assunto de verdade, que de fato ofereça algum tipo de credibilidade em relação à críticas. Porque né, são quatro twittes de quatro pessoas desconhecidas, sem nenhum tipo de alcance midiático.

A relevância desse perfil. O número de seguidores. O reconhecimento regional e mundial. Avassalador.

Vou dar um exemplo de twittes similares e que nunca se tornaram headlines. Um tempo atrás eu falei sobre Dorama no twitter, dizendo que não tinha paciência para dramas de mais de 20 episódios. Felizmente ninguém me levou a sério e não surgiu a manchete “Doramas recebem críticas por ter mais de 20 episódios”. Sabe porque? Porque não tem absolutamente nada de click baiting em noticiar meus twittes sobre dorama. Não tem nada que possa ser difamado com essa notícia. Mas ao dizer que o filme da Mulher Maravilha sofreu críticas/backlash por axilas depiladas sabe quem é que recebe o alvo grudado nas costas? Feministas e mulheres que OUSAM criticar cultura pop.

Não acredita em mim? Olhem esses comentários em um dos textos nos sites nacionais:

Não dava pra deixar passar sem cobrar a carteirinha, não é mesmo?

Quando discutimos representação feminina dentro de um universo que se construiu em alicerces machistas e misóginos – e foi assim que os quadrinhos de super-heróis se sustentaram por anos – nós sabemos o que é receber ataques apenas por sermos mulheres ou por criticarmos esses mesmos alicerces. Tudo isso pesa, mas vale a pena quando olhamos para as mudanças que a indústria vem apresentando nos últimos três anos, com o número de personagens femininas aumentando e com a melhora da representação dessas mesmas personagens. Uniformes hiperssexualizados são substituídos, posições ginecológicas trocadas por posições empoderadoras, o aumento de mulheres na produção desses mesmos produtos – todas vitórias muito importantes. Vitórias que todo mundo esquece à primeira menção do suvaco depilado da Mulher-Maravilha.

Não interessa o quão grande é o avanço, não importa o quão felizes nós estejamos com as mudanças – sempre vai ter alguém para pegar QUATRO TWITTES e transformar em polêmica. Sempre vai ter alguém para culpar feministas, essas mesmas que conseguiram com muita luta melhorar a representação feminina, por uma polêmica que NEM EXISTE DE VERDADE. É assim que o machismo e a misoginia se propaga: com aqueles que estão dispostos à fazer qualquer coisa por um clique. Pela audiência. Ao invés de apontar dedos para feministas, ao invés de inventar que “grupos feministas criticaram filme da Mulher-Maravilha”, que tal criticar os portais que resolveram criar polêmica a partir de quatro twittes.

Os twittes da discórdia:

Essas duas contas foram apagadas.


Aos blogueiros/jornalistas/whatever nacionais que deram ibope pra quatro twittes:

Sabe quem ia ficar decepcionada com os infelizes que resolveram fazer de quatro twittes polêmica? Essa mesma, Diana Price – aka Mulher-Maravilha. Porque o que está se fazendo nada mais é do que vitimando uma discussão muito importante dentro da cultura pop e dos quadrinhos, representação feminina, e usando feministas como bode expiatório. É tão infantil e tão bobo que eu só resolvi escrever sobre isso depois de ver o alcance que um dos textos nacionais havia recebido.

A única coisa real que vocês conseguem com esse tipo de comportamento é fomentar e sustentar uma cultura de ódio que vitima diversas mulheres todos os dias. Seja porque vocês sustentam a desinformação sobre o que é feminismo e sobre o que as feministas consideram pauta, seja porque vocês dão voz ao ódio que persegue e ameaça mulheres todos os dias na internet e nas ruas.

Pelo amor da Amazona Sagrada – SEJAM MENAS. Parem de passar vergonha na internet e sei lá, ao invés de ficar criando click baite, produzam matérias interessantes para o site de vocês. Isso é só uma dica. Parem de achar que uma – ou quatro – pessoas falam pelo movimento feminista. E, principalmente, LEIA A DROGA DA THREAD INTEIRA. Se tivesse feito isso teriam visto que um dos twittes era uma piada. Sei lá, talvez se vocês soubesse que eram só três twittes não achariam que dava pauta.

Até mais.

**Este texto foi atualizado em 23/03/2017 para adicionar imagens dos quatro twittes da discórdia e informações extras. 

%d blogueiros gostam disto: