Chiyomi Hashiguchi, conhecida pelo seu pseudônimo “Nekojiru” (“neko” de “gato”, em japonês; “jiru” de “sopa”), foi uma mangaká japonesa dos anos 90, que teve sua estréia na revista Garo. Mesmo com um futuro promissor, não conseguiu lidar com a pressão do mercado visceral, e cometeu suicídio aos 31 anos, no ápice de sua carreira.

Digital Garo vol. 1: Nekojiru (1996)

As obras de Nekojiru consistiam em mangás homônimos, geralmente seguidos de um nome de alguma comida, como Nekojiru Udon (sopa de macarrão japonesa), Nekojiru Manju (bolinho de arroz recheado com feijão) e Nekojiru Dango (bolinho feito de mochiko, massa de arroz); e em quase todos eles têm como personagens principais dois irmãos gato, Nyakko e Nyatta. Com seu humor extremamente ácido, satirizava e desconstruía padrões contidos em personagens “mascote”, como o Snoopy de Schultz, que fazem constatações sobre “as coisas como elas são” e a promessa de que dias melhores virão. É muito interessante e distópico como ela consegue reelaborar a relação com seus mascotes morbidamente carismáticos, e com eles desenvolver histórias simples, de ar cotidiano e inocente, mas com situações extremamente grotescas e surreais.

Os personagens principais se assemelham aos Maneki-Neko, mascote comum de ser encontrado em lojas kitsch de souvenires, que representa a sorte e a fortuna, com um rosto estático, cara de paisagem, olhar fixo e boca sempre sorridente.

Nekojiru era descrita pelos seus amigos como uma pessoa difícil de lidar, bastante breve e reservada (nunca quis aparecer na mídia ou ter seu nome real revelado, uma de suas únicas fotos é a imagem do início do post), com gostos muito peculiares e limitados; ao mesmo tempo que era uma pessoa de “inocência e pureza únicas, demais para conseguir viver neste mundo”, o que poderia justificar a recusa em crescer e sua misantropia, dois elementos que transpareciam bastante em suas obras. Era casada com Yamano Hajime, outro mangaká que publicava para a Garo, uma revista mensal de mangás alternativos e avant-garde. Com seu incentivo, desenvolveu melhor suas histórias e conseguiu fazer sua estréia com Nekojiru Udon, na mesma revista para qual o seu marido trabalhava. Com seu traço único e infantiloide, ao mesmo tempo misterioso, unido ao seu senso de humor negro, não demorou muito para que fizesse sucesso no Japão. Considerado como “abunakawaii” (“bonitinho/fofinho, porém perigoso”), seus personagens eram vendidos em forma de chaveiros, pelúcias e estampas de camisas; eram muito queridos principalmente entre as garotas colegiais. Durante um curto tempo, eles também fizeram aparições nas propagandas da Tokyo Electric (uma das principais companhias de eletricidade do Japão), mas que foram suspensas após sua morte, que se deu logo no ápice de sua carreira.

Tradução livre: No balão, “O qu-?! Manhã? Noite?”
“Eu liguei para o Bro’s Comics às 6 da tarde. Mas me responderam que meu editor só chegaria lá às 7… Bem… Eu estive vivendo sob meu próprio ritmo trabalhando 30 horas por dia e minha vida está destruída, então eu acho que não sou a melhor pessoa pra criticar os outros.”

Nekojiru já havia tentado tirar sua vida no passado e escrito diversas cartas de suicídio, porém a última delas era de anos atrás. Um dos trechos dizia: “Nenhuma discussão sobre os possíveis motivos”. Porém, uma das maiores suspeitas do que poderia ser a causa era a pressão sufocante dos prazos e números de vendas para se manter publicando. A profissão do mangaká, por mais que o mangá seja algo muito importante para a cultura pop japonesa, ainda assim é vista com maus olhos pela população, tornando-se muito desvalorizada, o que justifica a falta de reconhecimento e investimento, principalmente em trabalhos que saiam do encaixotado feito para o consumo das massas. É um meio muito difícil de se inserir, porém mais difícil ainda de manter-se ali, por isso é preciso uma busca constante de aprovação e a manutenção do interesse do público – o que certamente a adoeceu, pois nunca quis depender da opinião da mesma sociedade pela qual nutria tanto nojo e desprezo. Por isso – e também pelos seus problemas financeiros -, Nekojiru aceitava todo trabalho que lhe era oferecido, submetendo-se a um ritmo caótico de produção, o que resultou numa sobrecarga imensa. Em JiruJiru Diary, mangá onde relatava sobre coisas de seu cotidiano e retratava ela mesma como um gato, no mesmo ano em que tirou sua própria vida (1998), sua personagem comenta que chegava a trabalhar 30 horas por dia sem dormir e que sua vida estava “destruída”. Mas dois anos antes, na mesma série do seu diário, ela já demonstrava sinais em suas brincadeiras dizendo sobre o que poderia ser feito com o seu corpo caso ela morresse. No dia 10 de maio de 1998, aos 31 anos de idade, cometeu suicídio.Após sua morte, Yamano assumiu as publicações de Nekojiru, sob o pseudônimo de Nekojiru-Y, mas não conseguiu manter o sucesso. Uma adaptação em anime de Nekojiru Udon foi feita em forma de anime para a TV Asahi em 99, sob o título de Nekojiru Gekijou. E em 2001, foi feito também um OVA* experimental pelo diretor Tatsuo Sato e o animador/diretor Masaaki Yuasa, que foi vencedor de um prêmio do Japan Media Arts Festival na categoria de animação e consiste numa versão alternativa do universo criada pela autora. Mas infelizmente nada disso foi o suficiente para manter a memória de Nekojiru e deixar sua marca na cultura pop japonesa. Assim, tanto a própria Nekojiru quanto suas obras foram enterradas no cemitério dos mangás underground, que mal foram traduzidos para o ocidente, tendo os seus personagens substituídos por vários outros mascotes carismáticos.Porém, você pode encontrar alguns de seus mangás scaneados e traduzidos para o inglês nestes links:

http://mangafox.me/manga/nekojiru_udon/
http://mangafox.me/manga/nekojiru_dango/
http://translatingnekojiru.tumblr.com/
http://enjoynekojiru.tumblr.com/

 

Entrevista com Yoshiaki Yoshinaga, um dos amigos mais próximos de Nekojiru e seu marido, em inglês: http://www.pelleas.net/aniTOP/index.php/yoshiaki_yoshinaga_on_nekojiru (parte 1) e http://www.pelleas.net/aniTOP/index.php/yoshiaki_yoshinaga_on_nekojiru_pt_2 (parte 2)Todos os episódios de Nekojiru Gekijou, em inglês: https://www.youtube.com/watch?v=SWnkOvi4i6c&list=PL97DEF406969BC483

OVA Nekojiru-So (Cat Soup): https://www.youtube.com/watch?v=FOTasxTJXGM (está em inglês, mas quase não há diálogos)

 

 

*tipo de curta de animações japonesas que são lançados diretamente em VHS ou DVD, sem passar antes nos cinemas ou televisão.

%d blogueiros gostam disto: