Como esquecer aquela capa infame e ridícula que a Marvel encomendou para o Manara na época do lançamento do quadrinho solo da Mulher-Aranha? Particularmente eu não tenho muito como, porque volta e meia aparece alguém nos comentários querendo me lembrar desse rolê todo. Aliás, tem desenhista que está até hoje tentando tirar uma casquinha daquela ~merda~ toda.

Na semana passada o artista Frank Cho achou que seria legal desenhar o que ele chamou de uma paródia da capa do Manara, e disponibilizar no seu site. Dessa vez quem aparece no desenho é um recente ícone de representação feminina que fez tanto sucesso que ganhou sua história própria: Spider-Gwen.

Spider-Gwen

“Mas é só uma versão, uma paródia”. Não, é muito mais do que isso.

A polêmica toda começou quando, depois de ver a imagem, Sam Maggs do site The Mary Sue publicou um artigo questionando a imagem. A matéria possui um título que sintetiza muito bem a situação: “Só porque você pode, não quer dizer que você deveria”. Paródia é uma versão cômica de alguma coisa, muitas vezes com tom irônico e de deboche. O universo nerd ainda é um ambiente incrivelmente machista e que, apesar de sermos uma parte importante do mercado, continua tentando diminuir e calar a parcela feminina do público. Então quando um artista diz fazer uma paródia de uma peça tão polêmica nos dias de hoje, com os dados sobre consumidores que temos hoje, num momento em que a representação de gêneros está tão em voga no mercado, era de se esperar que fosse uma ironia ou um deboche em relação aos fãs e artistas que não conseguem lidar com as mudanças necessárias e justas pelas quais o meio nerd está passado, né? Não.

Infelizmente ainda se dá muita atenção a babacas como Cho que simplesmente não conseguem aceitar que a posição de privilégio deles está sendo questionada, que isso é algo positivo e que uma mudança está acontecendo.

Sam Maggs, em uma parte do artigo, disse:

Além de ser uma óbvia cutucada “àquelas feministas raivosas” que “exageram” todas as coisas, essa capa é também uma triste, mas lúcida visão do que alguns homens pensam sobre mulheres que estão tentando conseguir espaço para elas mesmas na frequentemente misógino mundo dos quadrinhos – onde elas se sentem objetificadas e hiper-sexualizadas regularmente. O que faz esse desenho ainda mais inapropriado é que Spider-Gwen é obviamente direvionado à um público adolescente, com o objetivo de atrair novas jovens leitoras para a Marvel. E, a própria Gwen, é uma adolescente.

E antes que alguém tente te dizer que “é só uma piada” seria importante lembrar que piadas podem machucar e diminuir comunidades marginalizadas, e que é algo que valhe a crítica.

Nós não estamos dizendo que Cho é um cara ruim. A Katniss que ele desenhou de presente para sua filha é adorável; ele é um artista talentoso, e ele certamente sabe como desenhar mulheres poderosas com respeito. Estamos apenas dizendo que essa capa da Spider-Gwen é de mau gosto, e conversa diretamente com as várias mulheres que ainda tem dificuldade para se sentirem aceitas nos quadrinhos. E isso é bem ruim.

A crítica da escritora faz muito sentido, além de ser educada e didática. A resposta de Cho, no entanto, foi de uma babaquice tão grande que me faz duvidar do que a própria Maggs diz em relação ao caráter do artista.

Cho, em resposta, publicou um texto em seu tumblr:

Wow. Que dias loucos. Minha capa da Spider-Gwen, uma paródia da infame pose da Mulher-Aranha do Manara, deixou algumas pessoas hipersensíveis desconfortáveis.

Para ser honesto, eu fiquei impressionado e surpreso pela confusão que aconteceu, na minha opinião, por razão nenhuma. É essencialmente uma pequeno grupo de pessoas bravas e sem humor reclamando contra o meu desenho de uma mulher bonita. É insensatez pura. Esse mundo seria um lugar melhor e mais divertido se algumas pessoas desenvolvessem senso de humor.

Se você quiser ler todo o texto ~e se tiver estômago para tanta desinformação e babaquice~ pode encontra-lo aqui, junto de um outro desenho de merda que o desenhista disponibilizou.

O que eu acho incrivelmente difícil de acreditar é que Cho “ficou honestamente surpreso” com a repercussão da capa. TODO mundo sabe o tamanho da polêmica que a Marvel causou ao anunciar a capa, até minha mãe que não lê quadrinhos sabe disso. Eu não costumo achar que os autores que fazem merdas misóginas ficam sentados atrás do computador, ou olhando para o papel em branco, rindo que nem o Gargamel – muito pelo contrário. Muitos desses incidentes acontecem por falta de informação, por esses artistas estarem inseridos na cultura machista já normalizada, mas sem a intenção de machucar ou ofender ninguém.

Neste caso em particular, eu digo que sim. Cho deve ter ficado lá, sentado atrás do computador, rindo da sua própria esperteza. Na minha opinião o comportamento do autor foi àquele de um garoto de doze anos que, depois da amiguinha ter tirado a nota mais alta da turma, tenta diminuí-la dizendo que ela é uma cdf boba que nunca vai achar marido. E, colega, esse comportamento é tão década de 90.

Essa “minoria raivosa” a que Cho faz referência compõe 46% do mercado que compra quadrinhos e são, também, protagonistas das maiores vendas da Marvel.

Robbie Rodriguez, co-criador da revista Spider-Gwen, respondeu a capa com um twitte que causou certo alvoroço.

https://twitter.com/RobbiRodriguez/status/585331843605495809

O ator soltou depois  uma nota explicando o tom do twitte que era também muito lúcida sobre o desenho, e sobre o posicionamento que quadrinistas deviam estar tomando nesse momento da indústria. Você pode ler o comentário completo na sua página de facebook.

lugardemulhertanque

Aqui no Brasil algo semelhante aconteceu nas últimas semanas. Um grupo de quadrinistas homens criou um Tumblr para tirar sarro das reclamações feministas em relação aos seus quadrinhos misóginos que, para eles, são só humor. O tumblr foi uma tentativa de deslegitimar a discussão feminista em torno do machismo muito presente não só nas charges e histórias, mas dentro do mercado profissional também. O que se diz por aí é que os autores desse tumblr foram alvo, no começo do ano, de um outro tumblr que criativa os trabalhos misóginos deles. Este tumblr teria sido tirado do ar exatamente por causa do mal estar que ele causou no meio – mal estar esse que, vejam só, os autores não se importaram em repetir já que, dessa vez, eles não era as vítimas das críticas.

Em resposta à essa babaquice, Fefê Torquato, quadrinista super talentosa, passou a última semana fazendo paródias (essas bem feitas), cheias de ironia e deboche, ao comportamento infantil desses fulanos. E foi lindo. <3

fefe 1 fefe2

Você pode acompanhar os outros quadrinhos da série, e o trabalho da artista, seguindo-a no tumblr.

Seja no mercado internacional, seja no mercado nacional, seja no meio nerd mainstream ou independente, ainda há muito cara machista/racista/homofóbico que usa a desculpa de que se é humor, tudo é permitido. Eles dizem que falta bom-humor às pessoas que reclamam de suas histórias, desenhos e charges, corriqueiramente mandando quem os critica irem lavar roupa, fazer sanduíches e etc. Isso tudo faz parte dessa onda machista que tenta a todo custo se agarrar com unhas e dentes num conservadorismo patriarcal hetero-cis-normativo (e muitas vezes branco) que se recusa a enxergar e abrir mãos dos seus privilégios, se colocando assim na posição de ignorar a imensa quantidade de outros tipos de pessoas que tão por aí, sabe né, vivendo.

Particularmente eu acho que, se você é tão genial assim, podia criar respostas melhores às suas críticas, podia, sei lá, aceitar as críticas e crescer com elas, podia pegar essa sua inteligência e brilhantismo todo e, ao invés de bancar o incompreendido, usá-las para criar um conteúdo de qualidade de verdade. Que realmente rompa essas barreiras. Que realmente faça você se tornar o autor de qualidade que você tão desesperadamente quer acreditar que é.

Termino com essa tirinha daThais Gualberto, a Kisuki, que resume tão bem todo esse rolê.

kisuki

%d blogueiros gostam disto: