Eu não sou a maior fã dos filmes do diretor Cameron Crowe. Dos que assisti, Jerry Maguire é legal, Quase famosos é superestimado, Elisabethtown desperdiça muito potencial e Compramos um Zoológico é o que mais me agrada.

Todos eles tem, no entanto, um denominador comum: A mulher idealizada que aparece para salvar o protagonista. Caramba, o termo Manic Pixie Dream Girl nasceu da personagem de Kirsten Dunst em Elizabethtown. Esse cara precisa começar a enxergar que esse padrão é ruim.

giphy-4

Só tá faltando o ukulele pra completar o combo Manic Pixie Dixie.

Mas a polêmica em torno do novo filme do diretor não tem a ver com a personalidade (ou falta de) das suas personagens femininas, e sim com o bom e velho embranquecimento.

Em Aloha – Sob o Mesmo Céu, Bradley Cooper é Brian Gilcrest, um ex-militar branco que, após um fracasso, volta para o Hawaii, onde conheceu a glória profissional. Ao mesmo tempo em que se reconecta com uma antiga namorada branca, ele se apaixona pela oficial do exército de origens asiáticas, Allison Ng. Exceto que Allison é interpretada pela Emma Stone.

Sabe. Aquela atriz loira?

01-aloha-emma-stone.w529.h352.2x

Não vou me surpreender se Allison Ng tirar um ukulele de dentro dessa bolsa.

Eu acho Emma uma ótima atriz… MAS PORQUE CAMERON? PORQUE?

Ontem, em seu blog, o diretor deu alguns esclarecimentos e fez “um pedido de desculpas”.

Eu escutei suas palavras e seu desapontamento, e eu ofereço minhas mais sinceras desculpas a todos que sentiram que esta foi uma escolha ruim de elenco. Ainda em 2007, Capitã Alisson Ng foi escrita como uma orgulhosa pessoa ¼ Hawaiana, frustrada que para todas as aparências, ela não parecia nem um pouco com suas origens. O pai meio-chinês tinha a intenção de apresentar o surpreendente mix de culturas que frequentemente prevalece no Hawaii. Extremamente orgulhosa de sua herança, ela sente a necessidade pessoal de explicar isso a toda oportunidade. O personagem foi baseado numa ruiva que fazia exatamente isso.

Eu posso imaginar o quão divertido deve ser conhecer essa moça. Eu tenho sangue nativo americano mas nem por isso eu saio por aí dizendo que sou índia – toda a minha socialização é de mulher branca, que é o que eu sou. Daí a tomar a decisão de colocar uma atriz branca para interpretar a única personagem do elenco principal de etnia diferente da branca, são outros quinhentos.

Todos os atores creditados no poster são... wait for it.. BRANCOS!

Todos os atores creditados no poster são… wait for it… BRANCOS!

É engraçado que Cameron fala sobre como o Hawaii é um local de mix de culturas e ainda sim escolheu um elenco principal inteiro de atores brancos. Particularmente eu acho que o pedido de desculpas deixou um pouco a desejar já que caiu no tão fadado “eu sinto muito que vocês se ofenderam” sem realmente dizer que ele estava errado.

Fato é que, tivesse o diretor composto o elenco de personagens principais com atores de diferentes etnias que realmente representasse o mix de culturas do Hawaii, a personagem de Emma teria sido um personagem cômico interessante. Como todo mundo é branco Alisson Ng entra para a história como mais uma personagem embranquecida por Hollywood.

Cameron Crowe disse ainda que está ansioso para fazer filmes com maior diversidade étnica no futuro. Espero que ele demore menos tempo para fazer isso do que está demorando pra fazer personagens femininos mais interessantes. Estaremos de olho. ¬¬

%d blogueiros gostam disto: