Ah, Marvel. Eu te amo, mas você faz ser tão fácil te odiar de vez em quando.

O que você espera da capa de uma primeira edição de uma revista em quadrinhos? Vamos ver alguns exemplos:

Screen Shot 2014-08-20 at 8.05.26 PM

Personagens centralizados, talvez em posições de batalha, cercado de inimigos, em uma posição de poder ou heroica. Sim, talvez algum trabalho estético mais “refinado”, como as edições de Elektra.

 O que você não espera em uma capa de HQ de super-herói, no caso a Mulher-Aranha (Jessica Drew) é isto:

SpiderWoman1MiloManara

Ahm… Isso não é uma roupa, é pintura corporal.

Milo Manara é um artista italiano conhecido por suas HQ’s pornôs. Ele é mundialmente reconhecido e desenha coisas bem legais sim. Infelizmente ele foca-se principalmente no corpo feminino, sempre sexualizando a personagem que estiver desenhando, independente do que ela esteja fazendo. A loucura é tão grande que a capa nem é original, e tem grande similaridade com um outro quadro dele. É importante lembrar que esse tipo de arte é a marca registrada do artista e, por mais que eu considere um desfavor desenhar super-heroínas desta maneira, a culpa não está única e exclusivamente em Manara. Na verdade, ela está em sua quase totalidade na editora que contratou um artista cujo trabalho faz um desfavor aos seus personagens femininos.

Manara já fez outros trabalhos para a Marvel, incluindo uma edição inteira das mulheres de X-men, para a qual eu realmente não tenho palavras. A revista existe única e exclusivamente para que garotos e homens possam bater punheta enquanto olham as suas personagens favoritas se banhar num riacho. No site da Marvel tem algumas das artes que ele fez por contrato. Na galeria há um personagem masculino, o Noturno, que não está nem um pouco sexualizado, claro. Estão lá também uma coleção completa de personagens femininas que estão invariavelmente em uma (ou mais) dessas posições: pernas abertas, bocas abertas, peito inclinado para frente, bunda projetada para trás.

A Marvel tem um histórico de personagens femininas legais, principalmente com as mudanças recentes, que fizeram fãs machistinhas tremer na base. Thor agora é uma mulher, Carol Denvers é Capitã Marvel, uma formação X-men inteira de mulheres, Gamora em Guardiões da Galáxia e etc. A própria capa da primeira edição de Elektra é incrível, e parece ser um padrão a ser mantido nas revistas da editora.

Então, por quê Marvel? Por quê?

O ápice do Butt Pose. Peito, bunda e uma cintura sem costelas. Tudo que o homem quer. A gente deu sorte de ver o rosto da Jessica Drew.

O ápice do Butt Pose. Peito, bunda e uma cintura sem costelas. Demos sorte de ver o rosto da Jessica Drew.

Por que você escolheria um desenhista conhecido por sua visão exageradamente sexualizada de mulheres para desenhar a primeira edição de uma revista de uma personagem feminina? Por que, apesar da personagem se chamar Mulher Aranha, mulheres não são o público alvo. Por que das duas uma, ou as duas: ou a Marvel não consegue entender por completo que é ofensivo sexualizar uma personagem feminina e que isso afasta uma parcela importante – e lucrativa – do público, ou ela só tá querendo fazer polêmica e causar posts indignados como este aqui.

Como eu não sou adepta das teorias da conspiração, e nem tenho tanta fé assim nos homens que comandam a Marvel, eu fico com a primeira opção. Apesar de dar passos avançados em direção a uma visão mais igualitária do seu público, a Marvel ainda não está nem pronta nem com vontade de soltar a mão do conteúdo exploitation e machista.

O peito, além de parecer um funil estranho é maior que o rosto da moça. Tá serto.

O peito, além de parecer um funil estranho é maior que o rosto da moça. Tá serto.

Sim, é apenas uma capa dentre todas as outras em que a Marvel parece ter acertado. Mas é importante porque ela continua reproduzindo uma imagem sexualizada da super-heroína que não apenas a reduz a objeto sexual para caras, mas retira parte da “seriedade” da sua história. Nós vivemos em um mundo em que a mulher usar roupa curta, ou mostra muito a pele, ou tem a sua sexualidade forte e definida significa que você não pode leva-la a sério, que ela não é uma mulher de verdade, que não merece respeito. Eu sei que você pode não pensar isso, mas isso está sim muito afixado no pensamento popular. Quando você reproduz o machismo em uma capa de revista você está não só batendo na mesma tecla chata e imbecil, mas também dando vazão para que o público  não veja nada além de um objeto sexual. Você esvazia a personagem de sentido antes mesmo da história começar. E lá nós vamos pra um ciclo sem fim de machismo institucionalizado.

Além disso tudo a Marvel também espanta as leitoras. Eu não quero pegar a revista e me deparar com uma personagem gostosona, sexy e que parece ter saído de um filme pornô. Eu até posso querer isso tudo, mas eu sei que pra isso existem os outros quadrinhos do Manara. O que eu quero é ver uma personagem bem construída, bem desenhada, com uma história tridimensional, com uma aventura empolgante. Mas tudo que eu vejo nessa capa é o moleque punheteiro que vai gastar todos klennex da mãe na frente do computador.

Vale lembrar que esta capa do inferno é uma segunda capa. Ou seja, eles tem uma capa normal, mas decidiram que uma capa mais exploitation era necessária. Say whaaat? Tá fodagalera.

As meninas do The Mary Sue, onde eu primeiro vi esta notícia, entratam em contato com a Marvel, que declinou comentar sobre o assunto. ¬¬ E vários outros sites também viram o absurdo que essa capa é. O mundo ainda é amor, galera. O Comic Book Resources fez um post sobre isso, em que eles inclusive notam que o desenhista regular da série, Greg Land, já foi acusado de sexualizar as personagens femininas. Essa história só vai de ruim a pior pelo jeito.

"Eu sou dona do meu próprio destino"- hum... Não. Os homens da Marvel são donos dele. Mal, Jessica.

“Eu sou faço meu próprio destino”- hum… Não. Os homens da Marvel são fazem ele por ti. Mal aí, Jessica. Foda.

%d blogueiros gostam disto: