Durante os últimos dois dias uma discussão rodou as redes sociais: Joss Whedon saiu do twiiter e a culpa foi das feministas. Hum…. Não.

giphy

Obviamente eu tinha todas as dúvidas sobre essa teoria. Ela foi primeiramente formulada por um usuário de twitter que reuniu essas ameaças e culpou as feministas furiosas pela súbita saída de Joss da rede social. Chega a ser quase engraçado o modo como tanta gente abraçou essa idéia e a disseminou em textos, twittes, posts de facebook, vídeos no youtube. Foi ótimo para ver os que se dizem “pró igualdade”, e os que se auto intitulavam feministas ou pró-feministas escoarem o rio de machismo assim que tiveram a oportunidade. Aqui dentro eu tô rindo um pouco dessa rasteira que a vida deu nessas pessoas.

tumblr_nnmp5yXqac1r83d7lo2_500

Ao mesmo tempo eu vejo o quanto essas pessoas fizeram mais esse desfavor ao movimento feminista nerd que vem lutando para aumentar a presença feminina na indústria. Não é que um backlash desse não fosse esperado, há uma constante tentativa de manchar o movimento, e qualquer oportunidade de culpar feministas pelo mal do mundo é uma gema do universo na mão das pessoas certas. O mundo nerd ainda tem muito a aprender sobre igualdade e aceitação.

Em entrevista ao Buzz feed Joss disse:

“Eu vi algumas pessoas dizerem “Bom, os Social Justice Warriors destruíram um deles mesmos!” E tipo, não. Isso não aconteceu. Eu vi alguém twittar que o Feminist Frequency falou mal de Avengers 2, o que até onde eu sei pode ter acontecido. Mas, literalmente, a segunda pessoa a me escrever perguntando se eu estava OK depois que eu saí foi Anita [Sarkeesian].”

Joss disse ainda que está acostumado com ataques de militantes feministas, que acontecem desde que ele entrou no twitter, e que as diferentes vertentes feministas estão sempre batendo de frente com outras. O mesmo acontece com os liberais. Por mais que eu não goste que homem cobre alguma coisa de feministas, esse confronto interno é parte da militância. Dentro de todo movimento, seja de esquerda ou direita, seja liberal, seja conservador, sema progressivo ou não, sempre há aqueles que vão assumir uma persona mais negativa. Infelizmente o feminismo não foge dessa constante.

Ao meu ver, o feminismo é algo que está em constante discussão, e só iremos parar de discutir no dia em que tivermos realmente alcançado a igualdade entre os gêneros. Um feminismo mais combativo, como o das moças que twittaram para Joss, não é como eu escolhi militar, mas como Joss mesmo disse:

“Para alguém como Anita Sarkeesian permanecer no Twitter e bater de frente com trolls é um recado de afirmação muito grande. É uma afirmação de força, empoderamento e perseverança e precisa ser louvada. Para alguém como eu, discutir com um monte de gente que queria que Clint e Natasha ficassem juntos, não tanto. Para alguém como eu, mesmo discutir com uma feminista não é uma grande vitória. Porque no final das contas eu sou um cara rico, hetero e branco. Você não muda o pensamento das pessoas através de um twitte. Você muda através das suas ações. Anita estar lá, e passar por aquilo e conseguir alcançar mulheres como ela – isso sim diz muito [é uma vitória].”

Nos meus textos eu sempre comento que apesar de adorar o trabalho de Joss, e apesar dele ser um grande aliado do feminismo de maneira geral, ele ainda é um cara branco, hetero cis e, por isso, suscetível ao erro. É muito legal ver que ele mesmo tem consciência disso, e é ainda mais legal vê-lo calar a boca dos machistinhas nerds mostrando que a luta das mulheres que permanecem na internet, apesar de toda a merda que recebem, é mais representativa do que ele discutir com alguns trolls pelo twitter.

Vale ressaltar que uma das grandes merdas que se falaram nos últimos dias foi que “filmes da Viúva Negra não acontecem por causa das feministas e seus padrões de qualidade”. Não. Filmes de protagonistas femininas não acontecem porque os estúdios e as editoras estão apenas agora se dando conta de que somos 50% de um mercado potencial, que nós gastamos dinheiro com aquilo que gostamos e que, bom, gostamos de coisas nerds – apesar de sermos constantemente lembradas de que o espaço nerd ainda é machista e misógino. Quanto ao padrão de qualidade, é fácil dizer que as nossas exigências são exageradas quando se é tão vastamente representado na mídia cultural que você mais gosta.

Eu vou continuar acompanhando o trabalho de Joss e de outros aliados do movimento, ms também vou continuar apontando os momentos onde o machismo aparece. Ninguém acha que Whedon sentou atrás do computador e bancou o Gargamel na hora que escreveu a Viúva Negra como tia/mãe dos Vingadores. Todo mundo sabe que ele é um cara que discute e promove a igualdade entre os gêneros. Mas ele, como todos nós, não é perfeito e, por isso, sujeito à críticas.

Só para deixar ainda mais bem esclarecido, Joss saiu do twitter pelos mesmos motivos que o fizeram abandonar a rede social uma primeira vez: ele tem novos projetos pós-Ultron, quer se concentrar em ser criativo e o Twitter pode muitas vezes sugar tudo de você. Nenhuma novidade aqui.

enhanced-mid-29526-1430867712-2

%d blogueiros gostam disto: