Então, o plano era uma lista de filmes de terror pra você ler e escolher algum para assistir nesse Dia das Bruxas/Dia do Saci. Mas euzinha não sou grande fã do gênero, as in não consigo assistir porque morro de medo. MAS fiz aí a lista dos filmes que gosto que mais se encaixam no perfil Halloween – para você, que como eu, não curte levar susto! E para começar, o filme que durante boa parte da minha estranha infância figurou como um favorito.

David Cronenberg  apresenta o filme que garantiu ao Jeff Goldblum o selo de qualidade em papeis bizarros e que me faz duvidar o meu grau de sanidade quando criança.

A Mosca (The Fly) -1986

Por que o pôster não era legal o suficiente. Gimme some Sugah, baby.

Por que o pôster não era legal o suficiente. Gimme a Sugah, baby.

Nem se Jesus reencarnar e andar na Terra eu vou saber explicar como é possível que esse filme tenha sido um favorito quando criança. Eu tinha gostos estranhos sim, mas eu nunca fui fã de filmes de terror. Por alguma razão, eu adorava o Jeff Goldblum e suas orelhas imensas virando uma mosca tamanho GG.

Uma refilmagem do filme A Mosca da Cabeça Branca estrelado pelo Vincent Price de 1958, The Fly mostra o físico Seth Brundle (Jeff Goldblum) que consegue com sucesso sucesso teletransportar pequenos objetos e um macaco. Como todo cientísta brilhante é também louco ou burro, ele chega à conclusão de que “se pá é uma boa idéia eu testar esse negócio em mim mesmo”. Infelizmente pra ele –  e felizmente para vocês e para mim aos 10 anos – uma mosca doméstica entra na cabine de teletransporte junto com ele. Os DNA’s dos dois se misturam e Seth passa  à se transmutar em uma Mosca gigante. Gore ao nível mais máximo que Gore pode ser. Por mais que hoje em dia eu tenha um nojinho do filme, ele ainda é um filmão e totalmente
no clima Halloween da vida.

E direto da década de 80 Corey Feldman batalha o vampiro Jack Bauer num duelo de vida ou morte nas ruas da ensolarada Santa Carla – Califórnia.

Garotos Perdidos (The Lost Boys) – 1987

TheLostBoys

Arte de James Rheem Davis.

Vampiros sempre foram “my thing”, eles sempre foram a minha porta de entrada ao mundo dos filmes e séries de Terror. Não sei dizer exatamente o por que, talvez pelas mesmas razões de todas as outras pessoas que gostam de histórias com vampiros, mas sempre foi assim pra mim. Em Garotos Perdidos vampiros vieram ainda com aquele apelo à mais: garotos que mal mal são adolescentes lutando contra vampiros.

O filme centra-se na mudança dos irmãos Michael (Jason Patric) e Sam (Corey Ham) do Arizona para a Califórnia. Lá Michael se apaixona por Star (Jeni Gertz), a namorada de Max (Keither Sutherland) chefe de uma gang local. Sam faz amizade com Edgar e Alan Frog (Corey Feldman e  Jamison Newlander), dois irmãos que se auto-intitulam caçadores de Vampiros. Eles não só o avisam  Sam que Santa Carla está sendo invadida por Vampiros, mas que Michael está se envolvendo com eles – Max é o líder dos vampiros locais. Garotos Perdidos tem muita trilha sonora do metal, muito sangue falso e tudo que a os filmes americanos da década de oitenta têm de melhor na minha opinião: adolescentes em apuros. Diversão garantida para o halloween, e com gostinho de adolescência. They Had me at Hello. <3

O que três bruxas comedoras de crianças, um gato que na verdade é reencarnação de um agente do N.C.I.S., uma garota que vê sacolas voadoras e um virgem têm em comum? A Disney.

Abracadabra (Hocus Pocus)  – 1993

hocus pocus

Sara Jessica Parker nunca devia ter saído de Salem!

Sim! Eu estou fazendo isso! Abracadabra está definitivamente na minha lista de favoritos do Dia das Bruxas. Além de ser extremamente divertido ele ainda brinca com alguns dos elementos mais comuns aos filmes do gênero de terror: bruxas más, sexualidade, o virgem trapalhão-herói, maldições e espíritos  reencarnados. Além disso têm um número musical da Betty Davis, Sara Jessica Parker e Katy Najimi (as bruxas do filmeque coloca qualquer High School Music no chão. Mas vá lá, quando foi a última vez que você viu um filme da Disney falar sobre um virgem? Se é pra ser um filme adolescente da Disney, então definitivamente que seja Abracadabra.

Recém chegado à Salem e bastante sético quanto ao Dia das Bruxas, Max (Omiri Katz) quer impressionar a colega de classe Alisson (Vinessa Shaw), em quem está interessado. Depois de encontrar com Alisson enquanto levava a irmãzinha Dani (Thora Birch) para coletar doce, ele resolve visitar com as duas a casa das irmãs Sandersons, três bruxas que foram mortas 300 anos atrás por matarem crianças. Lá Max – o virgem trapalhão – acende uma vela de chama preta que é responsável por libertar as irmãs de dentro do livro de magia. Max, Dani e Alisson recebem ajuda de um misterioso gato chamado Binx, que diz também ter 300 anos, e precisam impedir que as  bruxas más devorem todas as crianças da cidade e se tornem jovens e imortais novamente. Abracadabra é diversão  garantida principalmente se o seu Halloween for recheado de criancinhas sedentas por um filme de terror, mas jovens demais para muito sangue.

Em meio a uma guerra que consome um país, uma garotinha consegue sonhar um mundo repleto de fadas, faunos e monstros comedores de fadas com olhos nas mãos.

O Labirinto do Fauno (El Laberinto del Fauno) – 2006

Pan's de buenas

Por que o pôster com o monstro com olhos nas mãos foi demais pra mim.

Ok. Eu sei. O Labirinto do Fauno não é exatamente um filme de terror, e nem de Halloween. Mas se você está procurando um filme assustador, por que diabos não iria recorrer à uma obra prima como essa? Faunos e monstros que comem fadas não são assustadores o suficiente para você? Calma que ainda têm a Guerra e o período de terror do Franco na Espanha personalizado no “novo pai” da protagonista, um homem que não pensa duas vezes antes de matar, e que vê na mãe da menina apenas um novo apetrecho responsável por lhe fornecer um filho varão. Esse filme é, na minha opinião, a mistura perfeita de fantasia com realidade, uma metáfora que não te poupa de nada, nem do terror e nem da dor.

O filme conta a jornada de Ophelia, uma menina que se muda com a mãe para a casa de campo do Capitão Vidal, o novo marido de sua mãe. Com medo de perder a mãe para uma gravidez complicada, Ophelia logo descobre que naquelas matas mora um Fauno que lhe promete um mundo completamente diferente, um mundo onde Ophelia vai assumir seu lugar de direito como princesa e reinar ao lado de seus verdadeiros pais. Mas antes da menina ir à esse mundo ela precisa realizar algumas tarefas para provar que ela é sim a verdadeira princesa desaparecida. Misturando realidade com o mundo mágico que descobriu, Ophelia coloca sua vida em risco nas mãos do Fauno e acaba entrando de frente com Capitão Vidal. O Labirinto do Fauno é um filme que me tocou profundamente, não só por que minha família tem histórias com essa guerra, mas por causa da delicadeza com que o diretor Guilhermo del Toro consegue abordar o medo e o perigo de um país inteiro através da jornada de Ophelia.

E pra você não ficar tristinho porque tá com medo do Dia das Bruxas, vou-me deste post mas deixando uma imagem de recordação, para guardar as suas noites em busca de alento dos filmes de terror.

Fique com Jeff Goldblum sem camisa abraçando um babuíno.

Goldblum e o Macaco

Tudo vale a pena
Se alma não é pequena.

%d blogueiros gostam disto: