Muito já foi falado sobre os erros da Warner/DC no que diz respeito as adaptações de seus heróis para o cinema. Nós falamos sobre os problemas narrativos e de escolhas de produção em um texto recente, mas hoje veio a luz uma carta aberta escrita por uma ex-funcionária que toca na questão humana do fracasso dessas produções: pessoas perdem seus empregos.

Filmes são uma indústria e, como nas indústrias automobilísticas, famílias tiram seu sustento dos empregos que essa indústria cria. Quando uma empresa insiste em decisões ruins e precisa cortar gastos por causa dessas decisões, quem sofre é o funcionário padrão. Hollywood tem um ótimo histórico em perdoar homens com “mentes criativas” e isso, no fim, significa que mais funcionários de base, que não tem poder de decisão sobre nada dentro do estúdio, perderão seus empregos toda vez que a empresa decidir que Batman v Superman não foi tão ruim assim então porque não deixar Snyder em mais um filme? 

Vale lembrar que apesar do dinheiro arrecado por Homem de Aço e Batman v Superman, os filmes não alcançaram o sucesso comercial que o estúdio esperava. Isso nada tem a ver com o gosto pessoal do público sobre os filmes.

É muito comum que o espectador esqueça que por detrás de cada produto cultural que a gente consume está uma equipe imensa, que vai desde o diretor de fotografia até o funcionário de TI e que todos eles dependem do sucesso dos filmes para que a empresa continue os empregando. É muito bom ver essa carta falar exatamente sobre como esses fracassos constantes afetam essas pessoas.

Eu fiquei especialmente preocupada com as considerações dela sobre o filme da Mulher Maravilha.

A ex-funcionária assina a carta com um nome fictício, Gracie Law. Para ler a carta em inglês, clique aqui. 

Quando eu saí da minha sessão de Esquadrão Suicida na semana passada, eu estava com raiva. Eu também estava incomodada, desapontada e frustrada, mas majoritariamente com raiva.

Olha, eu sou uma grande nerd. Então óbvio que eu achei que o carro desgovernado que esse filme é fez um imenso desfavor aos personagens, ao conceito, ao elenco e à equipe, mas não foi por nada disso que eu estava com raiva. Sim, é inconcebível pra mim que a Warner Bris pudesse bagunçar tão completamente um filme estrelado por Will Smith, Margot Robbie e o Coringa. Mas isso só tinha me deixado desconcertada.

Eu estava com raiva porque eu não conseguia parar de pensar em você, Kevin Tsujihara.

Muitos fãs podem estar com raiva (e com razão) porque você continua destruindo produtos que eles estão tão desesperadamente querendo amar e apreciar, mas isso é um pouco pessoal para mim. Veja bem, eu sou uma ex-funcionária da Warner Bros. Eu tenho tanto respeito pelo seu estúdio. Eu amo cada centímetro quadrado do backlot, de Stars Hollow até a academia que eu sempre tive a intenção de usar.As pessoas com quem eu trabalhei durante o meu período na sua empresa são meus amigos próximos. No meu ultimo dia eu os abracei e disse que os amava.

Eu estava lá em 2014 quando você tomou a decisão de despedir 10 por cento dos seus trabalhadores. Deixe-me recapitular para você: Toda manhã eu acordava com uma pinçada no estômago, porque eu assumia que aquele seria o dia em que eu perderia o meu emprego. Tod dia eu via alguém empacotar a própria mesa ou carregar uma caixa para o carro. Eu não posso descrever para você o quão aliviada eu fiquei quando falaram que o meu departamento estava seguro, nem a culpa que eu senti depois disso ao caminhar pelos corredores do meu escritório com aquele alívio. Mas, de tudo isso, o que realmente ficou comigo foi um memorando que você mandou para todos nós. Deixe-me relembra-lo da minha parte favorita:

Eu queria que você escutasse sobre os planos para o estúdio direto de mim. Recentemente nós começamos a ouvir rumores aqui na empresa e a ler desinformações na imprensa, então eu quero deixar tudo muito claro.  Eu sei que o trabalho duro e a dedicação de cada funcionário da Warner Bros pelo mundo são muito importantes para os acesso da Warber bros., eu eu sinto muito pela distração que essa situação traz para o local de trabalho.

Na Warner Bros. nós trabalhamos com os contadores de histórias mais extraordinários do mundo, e nosso foco sempre foi em fornecer o ambiente criativo e o suporte financeiro para que eles realizem a suas visões. Nosso compromisso com isso não vai mudar. Na verdade nós estamos investindo mais do que nunca nas nossas produções para televisão e cinema.

Foi assim que você abriu o memorando sobre as demissões. “Ei galera, a gente trabalha duro para as pessoas contando as histórias e queremos ter certeza de que essas visões se realizem”. Você jogou a responsabilidade para os funcionários.

Naquele ano nós trabalhamos na visão criativa de Adam Sandler em Juntos e Misturados e e na de Clint Eastwood para Jersey Boy’s: Em Busca da Música. Fracassos. Nós trabalhamos No Limite do Amanhã, um potencial sucesso de verão, e sabotamos o seu lançamento. O mesmo com O Agente da U.N.C.L.E. Nós nos encolhemos e torcemos para que a trilogia d’O Hobbit, de alguma maneira, deixasse de ser um caso medíocre de fracasso. Pessoas leais e talentosas encaixotaram seus pertences e foram para casa enquanto os seus contadores de história deixaram a bola cair.

Alguém poderia argumentar que isso não é sua culpa. Que você herdou a agenda do antigo CEO, Barry Meyer, e estava apenas tentando corrigir o curso de um oceano linear indo em direção a um iceberg.

Eu não usaria esse argumento. E aqui está o porque: Eu escrevi esta carta ano passado. Eu comecei a formá-la em minha mente depois de Homem de Aço ser um fracasso de bilheteria ao invés do clássico moderno que você esperava. Eu fiquei me segurando para não fazer nada com ela por causa de um título: Esquadrão Suicida. A Origem da Justiça, de Zack Snyder, foi um fiasco mas aqui está ele com essa divertida e sombria aventura com anti-heróis. Eu amo David Ayer. Eu amo Harley Quinn. Eu amo Will Smith. Coloque a carta na gaveta. Esse navio não está mais afundando. Está tudo bem. Não tem como esse filme ser ruim.

E aqui estamos nós. Eu voltei da minha sessão e tirei a poeira desta carta. Você, o seu time de executivos, e a visão de seus “extraordinários contadores de história”, que resultou na perda de aproximadamente mil empregos, parecem empenhados em afundar esse navio em tanta merda quanto possa ser encontrada no oceano ao tomar decisões inaptas repetidamente.

Zack Snyder não está entregando. Ele está sendo punido? Assistente que fazem um trabalho fantástico com certeza estão. Pessoas em finanças e em marketing e em TI. Eles não tiveram nenhuma voz num filme chamado Batman v Superman ter apenas 8 minutos da luta entre Batman e Superman, e nessa luta terminar porque as mães dos dois tem o mesmo nome. Snyder é produtor em todos os filmes da DC. Ele ainda está dirigindo Liga da Justiça. Ele está sendo premiado com mais oportunidades de fazer mais pessoas serem demitidas. Eu estou assumindo que você não foi afetado financeiramente de nenhuma maneira real. Você e o seu estúdio me ensinaram a maior lição sobre a vida que alguém pode aprender: Os de cima fazem a merda, os de baixo sofrem. Peter Jackson liga e um supervisor de marketing tem que criar um plano B para os pagamentos da casa.

Sua apresentação desnivelada no Hall H da Comic Con neste ano foi uma bagunça ridícula que variou de corrida à entediante. Quando a Marvel anunciou todos os seus filmes com um evento divertido para fans, você anunciou todos os seus em uma conferência de sócios.

Você simplesmente não entende. E não são só os filmes da DC, é todo o seu quadro de filmes. O Destino de Júpiter. O Durão. Belas e Perseguidas. Max: O Cão Herói. Férias Frustradas. Pan. Caçadores de Emoção: Além do Limite. Fucking PAN, seu imbecil. Pessoas perderam seus empregos e você achou que Pan era uma boa idéia. Você acha que outro Jungle Book é uma boa idéia.

O que você está fazendo? Eu queria muito que você fosse forçado a viver em um carro até que você fizesse o maior filme do ano. Talvez assim Mulher Maravilha não fosse uma grande bagunça. Não tente esconder atrás de um ótimo trailer. Pessoas de dentro já estão confirmando que é outra bagunça. É quase impressionante como você continua premiando os mesmos produtores e executivos por fazerem os mesmos erros repetidamente.

Se eu trabalhasse em uma banca de donut, e eu ficasse errando os donuts, eu seria demitida. Mesmo se eu fizesse um donut decente aqui e ali, não importa. Eu seria demitida.

Eu amo esse estúdio, e você está permitindo que ele afunde. Não é sobre fazer filmes para “os fãs” ou para “os críticos”. Não é nem sobre “destruir infâncias”. É sobre proteger o sustento de pessoas.

Está na hora de você acordar e fazer os fucking donuts, Kevin.

%d blogueiros gostam disto: