Recentemente eu entrei numa maratona de Doramas. Em parte, porque a maioria das séries americanas que eu normalmente assisto estão “de férias”, em parte porque eles me lembraram dos animês shoujos que eu gosto e em parte porque eles são, por si só, bastante divertidos. Para quem não sabe, Doramas são os dramas (aka novelinhas) sul-coreanas e japonesas de curta duração. Elas possuem mais ou menos 20 episódios e existem em diversos gêneros, do romance ao terror.

Doramas de romance costumam seguir uma fórmula bem quadradinha: uma garota se apaixona por um garoto que vai acabar correspondendo os seus sentimentos. Um segundo garoto se apaixona por ela, mas ela nunca vai retribuir esses sentimentos. É um esquema bem clássico de narrativa romântica que a gente também observa em mangás e animes japoneses, mas que no caso dos Doramas Sul-Coreanos parece ser um padrão persistente e que apesar de se repetir em Flower Boy Next Door, ganha um ar de diferente por causa dos protagonistas.flower boy gif resumo

Na história, Go Dok Mi (Park-Shin-hye) é uma tímida e reclusa editora de livros que vive sozinha num pequeno apartamento em Seaul. Todos os dias ela recebe, junto com o seu leite, um desenho que ela acredita ser do leiteiro mas, na verdade, é de seu vizinho Oh Jin-rak (Kim Ji-hoon), um quadrinista de webtoons que a observa à distância. O único contato de Go Dok Mi com a vida fora do apartamento acontece quando ela usa seus binóculos para observar o vizinho do prédio da frente, mas tudo isso muda quando o irmão do vizinho a pega olhando pelo binóculos e vai até ela tirar satisfações. É então que Go Dok Mi conhece Henrique Geum (Yoo Shin-yoon), o irmão do vizinho que também é um gênio prodígio, um desenvolvedor de games famoso que voltou para a Korea para trabalhar em um projeto. O relacionamento dos dois, que começa com um estranhamento, se desenvolve no tradicional relacionamento romântico dos Doramas.

O que me chamou atenção em Flower Boy Next Door é que Henrique se destaca em um mar de “interesses românticos” taciturnos, sombrios e problemáticos que os Doramas nos apresentam. Ele é um homem feliz, aberto sobre os seus sentimentos e empenhado em fazer Go Dok Mi sair do seu esconderijo, mas sem força-la além do aceitável. Um das minhas maiores dificuldades para escolher quais Doramas assistir vem exatamente do protagonismo masculino já que, muitas vezes, ele é tóxico e até psicologicamente abusivo. Enrique poderia ser um personagem que facilmente cairia sobre o manto de homem-criança, mas a série consegue trabalhar o personagem emocionalmente o suficiente para que isso não aconteça. O sopro de ar fresco que o personagem é ajuda a acertar o tom da série.enrique buy me chicken

Go Dok Mi, por si só, é uma personagem bem interessante. Marcada por traumas de abandono e mentiras que a perseguiram na época da escola, ela se tornou uma mulher reclusa, mas que parece estar confortável e feliz dentro do seu apartamento. A série pressiona Go Dok Mi o tempo todo para fora do apartamento, mas achei interessante como também não a diminui à um estereótipo bobo por causa da sua condição. Apesar de ser uma mulher tímida, frágil não é exatamente o adjetivo que eu usaria para descrever a personagem que além de bater o pé para fazer valer suas vontades, desconstrói a imagem de mulher doce, inocente e pura que o vizinho Oh Jin-rak construiu sobre ela.

Outro ponto interessante de Go Dok Mi é a sua amizade com Cha Do-hwi, sua ex-colega de escola responsável por uma parte dos problemas que a levaram a viver reclusa. O que eu gosto nessa história é que apesar de ser, no fundo, uma história de rivalidade entre duas mulheres, permite que Go Dok Mi não perdoe a amiga. É um pequeno spoiler sim, mas também é parte importante no porque eu gosto tanto dessa protagonista. Sempre me incomoda o modo como as protagonistas de Dorama acabam perdoando todo mundo e fica tudo bem, aqui isso não acontece. Go Dok Mi segue em frente, mas isso não quer dizer que ela vai precisar ficar ao lado de Cha Do-hwi.Enrique Go Dok Mi Eyes

Oh Jin-rak, o terceiro protagonista, é um quadrinista que não é muito bom de desenho e mora com um desenhista e amigo. Ele passou os últimos três anos desenhando em post its na caixinha de leite de Go Dok Mi e, por mais que isso possa sim ser só um gesto carinhoso, o comportamento dele quando Enrique entra na história o torna um creep. Diversas vezes ele dispara um discurso de que ele chegou primeiro, que ele cuida de Go Dok Mi há três anos, a observando do apartamento ao lado. Isso só não soa pior porque a própria protagonista observava o vizinho de outro prédio, mas essa insistência em pódio de chegada cansa.

Não quero dar Spoilers, mas para quem tem o alarme sensível como o meu para possíveis plots muito problemáticos, Flower Boy Next Door pode ser um problema por causa de um personagem: Oh Dong-hoon, o colega de casa de Oh Jin-rak. Se nos primeiros capítulos eu me revirava no sofá de raiva porque a série parecia normalizar um abusador de mulheres bêbadas, esse plot tem uma reviravolta divertida. Então se isso estiver te impedindo de seguir assistindo, persista que fica tudo bem.

Eu gostaria que Flower Boy Next Door tivesse mais personagens femininas, que tivesse enxugado o número de personagens masculinos e que a história tivesse pelo menos alguns capítulos a mais, para desenvolver melhor o que ela resume em um último episódio. Mas de maneira geral o dorama consegue trazer uma protagonista interessante, um interesse romântico não tóxico e uma história simples e divertida.

Aqui no Brasil você pode assistir Flower Boy Next Door no DramaFever.

 

%d blogueiros gostam disto: