Eu sei o que você pode estar pensando. Quando pensamos nesse assunto, o automático é que nossa mente vá para Cinquenta Tons de Cinza, um livro que acho que todos nós podemos concordar que é bem ruim. Para quem não sabe, a história veio de uma fanfic de Crepúsculo.

Por esse e outros motivos, criou-se essa imagem de que fanfics são sempre ruins, mal escritas e de pouca qualidade. Não que não existam fanfics ruins, todo mundo aí que já gastou madrugadas no AO3, procurando histórias do seu ship preferido, já encontrou histórias que dá vontade de desver. Mas a coisa legal do mundo das fanfics é que é todo um espaço mágico, com espaço para histórias ruins e, veja só, outras que de fato são boas.

Se você é, assim como eu, uma pessoa que de vez em quando passa um tempo caçando fanfic, você provavelmente já se deparou com uma história boa de verdade. Não só os fatos são bem colocados, mas a própria escrita em si era bem feita. Sim, elas existem, dá uma chance para o seu fandom e eu garanto que você vai achar alguma que vale a pena.

Piadas na internet a parte, e eu gosto sim de brincadeiras com fanfics, essa parte do fandom e a prática de escrever essas histórias podem ajudar futuros escritores mais do que você pensa. Pelo menos para mim eu sei que ajudou. Hoje eu estou trabalhando em um projeto original meu e, quando tudo der certo, eu vou saber que parte disso é porque eu pratiquei por algum tempo com as tais das fanfics.

write

Quando falamos sobre escrever, há inúmeros textos na internet dando dicas de como fazer para se tornar um escritor. Eu não sou muito fã dessas listas, sinto que algumas delas mais desmotivam os novos autores do que qualquer outra coisa, mas há alguns pontos que acho que valem a pena serem levados em consideração.

Uma das coisas que sempre me recomendaram, e essa sim é uma dica que eu passo adiante, é começar por um lugar perto de você, que lhe é familiar e conhecido. Obviamente você pode começar a escrever no gênero que você quiser, com qualquer tipo de personagem, seja lá o que te fizer sentir a vontade, mas às vezes começar por lugares próximos de você de alguma forma podem te ajudar a se soltar criativamente. Eu comecei a querer escrever quando conheci a literatura de fantasia medieval, então não era para menos que os meus primeiros rascunhos, há mais de dez anos, eram todos em universos de fantasia medievais. Assim como minhas protagonistas tinham muito em comum comigo.

Mas o que é um lugar mais “conhecido” por um fã do que a obra que ele gosta? Eu posso falar por algum tempo sobre a geografia dos meus universos ficcionais preferidos, por exemplo. Algumas pessoas podem não saber direito como começar a construir um personagem, mas há aqueles que serão capazes de explicar cada detalhe de seus personagens preferidos das histórias que mais gostam.

Isso acaba se conectando com outra coisa que vivem dizendo para escritores: Escreva com frequência. Ao contrário do que algumas pessoas falam na internet, eu não acho que se você não escrever em todos os dias da sua vida, você nunca será um escritor. Mas sim, prática ajuda, treinar a sua escrita faz com que você melhore, assim como tudo na vida.

writing-laptop

Como sempre andei com o demônio da síndrome do impostor no meu ombro, eu sempre tive (e tenho) muitos problemas para criar meus próprios universos ficcionais, porque em algum momento eu sempre me convencia de que o que eu estava fazendo não era bom o suficiente. Nesses momentos, quando eu queria praticar, acabava recorrendo para fanfics. Além de serem lugares conhecidos em que eu podia praticar livremente e sem “compromisso”, era um universo já criado que bastava apenas eu ter vontade de escrever.

Sem contar que fanfic é um exercício de criatividade, que é sempre bom para quem gosta de escrever. Reimaginar uma cena específica, criar um novo final, trazer personagens que não se encontram em canon para interagir na sua história… Tudo isso, ao meu ver, é um tipo de prática que me ajudou muito a entender certos aspectos da escrita que hoje tenho usado para os meus próprios projetos.

Fanfics também me deram a oportunidade de receber feedbacks. Novamente o demônio da síndrome do impostos aparece, me fazendo ter medo de mostrar meus projetos originais para os outros, mas quando eu mandava fanfic para algum amigo, eu tinha menos receio, até que cheguei ao ponto em que hoje eu só mando o link, sem pensar tanto no assunto. Talvez essa “segurança” a mais aconteça porque o universo todo não é meu, eu só estou pegando emprestado para me divertir. Sem contar que, com um projeto original, você precisa criar um público, enquanto a fanfic basta você colocar em algum site ou mandar para grupos do fandom que você provavelmente terá alguém que vá se dispor a ler.

Não importa se são coisas que eu criei ou que estou fazendo por ser uma enorme fangirl, esses anos de escrever fanfic me fizeram praticar a minha escrita, pensar em formas de construir diálogos, dinâmica de personagens, resolver certos problemas de narrativa, etc. Já me diverti muito com os pequenos desafios de fanfic no tumblr, tendo que colocar alguma frase aleatória no meio de uma interação de um ship, e todos esses exercícios são similares a coisas que eu fiz em alguns dos cursos de escrita que frequentei, a diferença é que não eram de um universo que já existia.

Óbvio que tem muita fanfic ruim por aí, mas se você tem as mesmas questões que eu, não tenha vergonha de praticar um pouco com aqueles personagens que você tanto ama de uma série, filme, jogo, etc. Criar algo original pode ser muito difícil e é preciso de confiança, e nesses anos de tentar me convencer de que eu era capaz de fazer isso, muito do que eu fiz, descobri, melhorei e cresci foi criando em cima de fanfics. Alguns dos feedback que eu mais lembro, inclusive, vieram dessas histórias. Então, fangirl, não tenha vergonha de praticar sua escrita nas fanfic, porque o seu projeto original no futuro pode crescer muito por causa disso.

Originalmente postado em Ideias em Roxo.

%d blogueiros gostam disto: