Ontem, no finalzinho do dia, ficamos sabendo que a atriz Anna Diop vai assumir o papel de Estelar na série Titans, que adapta os personagens dos Jovens Titãs para a televisão. Anna tem no currículo séries como Everybody Hates CrisQuantico e mais recentemente esteve em 24: Legacy.

Estelar foi criada por Marv Wolfman e George Pérez, e sua primeira aparição nos quadrinhos aconteceu na revista DC Comics Presents #86 em 1980. A personagem é a princesa herdeira do trono de Tamaran, um planeta no sistema Vegan. Ela chega ao planeta Terra depois de fugir das garras da irmã, Blackfire, que havia causado uma guerra no planeta. Estelar então se une aos Jovens Titãs depois de encontrar Robin, Dick Grayson.

Aqui no Brasil Estelar ficou conhecida pelo grande público com o grande sucesso que a série animada Teen Titans fez no começo dos anos 2000.

Com o anúncio que Anna Diop, uma atriz negra, ia assumir a personagem na versão Live Action as pessoas, elas perderam a noção. De um jeito que, para justificar o racismo, começaram a dizer que a Estelar era, na verdade branca.

Temos alguns pontos importantes a se levantar aqui.

O primeiro deles é que você pode dizer o quanto quiser que não é racista, mas se você precisa fantasia que uma personagem laranja é branca, então você precisa procurar se educar melhor e aprender que o que você sente é preconceito racial – não busca por fidelidade com os quadrinhos.

O segundo ponto é: Estelar não é humana. Sim, ela tem traços humanóides, mas isso não quer dizer que ela é um ser humano. Não, ela é uma alienígena e, por isso, tentar colocá-la dentro de padrões humanos é perda de tempo – e pode acabar mostrando que você é racista.

Ruth Negga, em Agents of Shield / Pom Klementieff e Zoe Saldanha em Guardiões da Galáxia.

O terceiro ponto é uma preocupação pessoal. Caso a produção da série resolva realmente pintar o corpo de Diop de laranja, o que faria sentido já que a personagem é laranja, então ela se juntaria à uma série de personagens femininas não-brancas em filmes de super-heróis que acabam sempre com o corpo pintado ou exotificado. Eu vou sempre celebrar o casting de mulheres não-brancas em séries e filmes de super-heróis, mas me incomoda um pouco o modo como elas muitas vezes acabam caindo em personagens que ou são de cores não humanas, ou acabam tendo um design que às retira do padrão humano, enquanto personagens femininas brancas são majoritariamente só humanas. Isso me levanta o sentimento de desumanização dessas personagens e de que essas mulheres não-brancas podem existir dentro do mundo live action de super-heróis, contanto que a sua etnia não seja muito aparente.

Obviamente, eu estou muito feliz com a escolha da atriz para a personagem. Vale lembrar que a DC, na televisão, possui uma representação negra bem interessante e não tem mostrado medo de trazer atrizes negras para interpretar personagens originalmente de outras etnias – vide Iris West. Obviamente o caso de estelar é um pouco diferente, já que ela é laranja, mas ainda assim é muito bom ver mulheres não-brancas assumindo papéis que tradicionalmente elas não receberiam.

Apesar de eu achar que é bem óbvio que a pele da Estelar é LARANJA, algumas pessoas ainda estão confusas sobre isso. Então aqui vai um exemplo que vai deixar tudo mais evidente. Nesta ilustração abaixo nós temos Donna Troy, branca, abraçando Estelar, LARANJA.

Até mais! 😉

 

%d blogueiros gostam disto: