Adam Savage, um dos apresentadores de Mythbusters, respondeu o Inquiring Minds podcast sobre o porque há tanto ódio contra mulheres nas ciências e nos games. Eu traduzi parte da resposta, e você pode ver a pergunta em inglês neste link. 

“Essa merda toda é difícil pra garotas […] Como homem, estou assistindo a essa coisa toda de “GamerGate” acontecer e, não sei.

Eu queria entender melhor, porque eu vejo e eu tenho amigas que sofrem com isso. Eu trabalhei com [co-host de Mythbuster) Kari Byron por 11 anos, e eu assisti a evolução de toda a merda que Kari teve que lidar como figura pública, como mulher e como comunicadora de ciência.

O problema que eu tenho tenho com isso é que, como um cara branco […] E eu reconheço que o meu privilégio torna impossível que eu diga, “Deveria haver mais mulheres nas ciências”, sem que soe como se eu estivesse gritando de um pedestal. Eu levo essa minha posição muito a sério. Eu trago mulheres para as coisas que estou fazendo porque elas são parte e parcela de toda história que contamos, da ciência e das descobertas científicas que nós fazemos.

As garotas pequenas precisam de modelos na construção de pensamento crítico […] Mas eu também reconheço que este modelo não sou eu. Eu poderia ser um modelo para uma menininha, mas eu não vou ser o modelo ideal. Ela precisa de uma mulher para fazer isso. Nós precisamos encontrar equilíbrio.

Tudo que todo mundo quer é ser feliz e estar completo […] E é genuinamente triste que [GamerGaters] se sintam tão incompletos que sintam a necessidade de projetar isso nos outros. Certo? “Eu quero negar coisas a você – porque eu me sinto lezado”. Isso é terrível. O momento em que você está tentando ferir outras pessoas, seja por violência física ou verbal, tem algo profundamente errada com você.

Eu não consigo não sentir que a nossa cultura está promovendo ideais impossíveis. Ideais de propriedade, ideais de sucesso, ideais de tipos de corpos – e as mulheres sofrem muito. Nós temos caras velhos na FOX dizendo para apresentadoras mulheres que elas podiam todas perder uns 5 quilos. Eles já deveriam ter o impedido antes daquilo.”

Uou. É difícil ver esse tipo de clareza de privilégio e de discurso em caras na mídia atualmente. E por mais que eu não seja a favor de dar tapinha nas costas de cada homem que se diz feminista, Adam Savage merece um parabéns. É muito bom ver que pessoas públicas estejam tomando esse tipo de consciência, vendo que a posição em que estão é privilegiada perante outras pessoas, é bom saber que ele quer sempre incluir mulheres nos seus projetos e que há uma preocupação com a representação feminina.

Adam está certo. Desde pequena eu sempre tive modelos masculinos (eu queria fazer Arqueologia porque queria ser o Indiana Jones. *_*), mas faz diferença ser uma menina, ligar a televisão e ver que no meio dos caras também existem mulheres fazendo ciência. Se nós queremos mesmo alcançar uma sociedade igualitária, com oportunidades e direitos iguais para todos nós, diversidade precisa estar no nosso pensamento constantemente. E isso não quer dizer incluir apenas mais mulheres.

Das coisas que Adam falou só não sei se, depois de todas as merdas que os GamerGaters aprontaram nos últimos meses, eu ainda consigo guardar algum tipo de empatia por eles. Mesmo.

Novamente, acho ótima a postura de Adam, mas espero que ele continue crescendo e utilizando a sua posição de privilégio para ajudar a termos mais mulheres e outras minorias no mundo da ciência, afinal, é importante fazer além de falar.

😉

Via Mother Jones e The Mary Sue.

%d blogueiros gostam disto: