O sexto episódio da temporada não foi tão agitado quanto os dois anteriores, mas seria injusto comparar e não só de episódios bombásticos vive uma série. Apesar de Blood of my Blood ter certos momentos mais parados e até “mais do mesmo”, ele já vai direcionando certos personagens para os conflitos do final da temporada.

Novamente não vemos Dorne, a Muralha e Meereen também ficaram um pouco de lado. Voltamos para Porto Real, vimos o que está acontecendo com Arya, finalmente conhecemos o Monte Chifre dos Tarly e também vimos alguns retornos inesperados.

Como sempre, o texto contém spoilers do episódio.

gotmp091715ep606-28051jpg-6dac06_765w

Sam e Gilly finalmente chegam em Monte Chifre. O plano era que Gilly apresentasse seu bebê como filho de Sam para que os Tarly cuidassem dos dois enquanto Sam ia estudar para virar um meistre. Normalmente não sou muito fã das cenas de Sam, dificilmente o núcleo dele me convence (a menos que esteja acompanhado de outros personagens como Jon), então apesar de não ter achado super empolgante, pudemos ver o desenvolvimento do personagem.

Ele pede para Gilly não mencionar que é uma selvagem, mas em Game of Thrones as coisas normalmente não dão muito certo. Não só Lorde Tarly descobre, como humilha Sam na frente de todo mundo. Aparentemente nem todos os Tarly acreditam que Sam seja um fracasso, já que a mãe dele o protege, mas acho que todo mundo ficou com ódio do Lorde Tarly mesmo assim. Um detalhe importante aqui é ver como muitas pessoas de Westeros não acreditam que os Walkers existam, apesar de no Norte as pessoas serem mais informadas sobre o assunto, em outras áreas eles é considerado apenas um mito.

No começo eu fiquei incomodada de ver um Sam que, depois de tantas temporadas, ainda abaixa a cabeça pro pai. Ele podia ter brigado, xingado e feito algo, não? Mas na verdade faz sentido, Sam morre de medo do pai, passou por horrores na mão dele e talvez nunca o enfrente diretamente. Mas a série encontrou uma forma boa de mostrar que ele mudou: Sam decidir que Gilly não vai ficar e pega a espada de aço valiriano do pai antes de sair. Isso pode ser extremamente útil no futuro e mostra o lado rebelde do personagem, e se ele não tivesse pego a espada a viagem até Monte Chifre ia parecer que foi por nada.

O arco da Arya era um que ao mesmo tempo que parecia corrido, também não mostrava muito, mas nesse episódio finalmente parecemos avançar. Depois de ver mais uma peça de teatro, dessa vez a morte de Joffrey, Arya começa a perceber que não quer simplesmente matar por matar, que ela quer eliminar pessoas que ela considera ruins, então impede que Lady Crane beba o veneno. Arya volta para o lugar onde escondeu Agulha e tanto ela quanto o público percebem que ela não pode ser ninguém, ela é Arya Stark.

20160525ep606publicitystill04001314651jpg-65355f_765w

Waif, que já não gostava nada da Arya, aproveita o momento para conseguir permissão para matá-la. Nós já sabíamos que eventualmente as duas iam brigar de vez, mas aqui eu começo a ficar confusa sobre a questão de ser ninguém. Waif provavelmente é uma pessoa que já passou pelo treinamento e ela não gosta nada de Arya. Uns episódios atrás (se não foi o último) ela comenta que nunca nobre nenhum foi um homem sem rosto e isso me deu a impressão que, talvez por ser de uma família pobre ou ter passado por dificuldades, Waif só tenha tido uma opção: virar ninguém. Daí ela vê Arya, uma nobre Stark que teve de tudo na vida (que depois foi tirado, mas enfim), querendo virar como ela e talvez seja esse o motivo da raiva. Arya provavelmente teve todas as coisas e opções que Waif nunca teve e ela pode acabar usando os treinamentos para descontar essa frustração. A questão é: Se ela é ninguém, esses sentimentos não deveriam não existir? Por que essa raiva vem de uma vida que Waif não tem mais, portanto será que ela é tão ninguém assim ou foi mesmo uma falha na história? Ela pode ter raiva da Arya também por questão de ciúmes mesmo, mas aí isso também não seria um sentimento de alguém que Waif não pode sentir exatamente por ser ninguém? Independente de qualquer coisa, tudo indica que logo mais elas vão brigar feio e Arya vai fugir e talvez matar Waif antes disso.

Não acho que fui a única que broxei quando vi que o conflito em Porto Real não seria a luta que o trailer tinha prometido. Eu já estava empolgada pra ver a cabeça do Alto Pardal rolando, mas a série tomou um rumo diferente do que a maioria imaginava. Primeiramente vemos Tommen conversando com Margaery, novamente o rei é manipulado e muito provavelmente isso é tudo um plano de Margaery para seguir no poder e salvar Loras.

Eu já imaginava que Tommen ia terminar essa temporada sendo marionete de alguém, provavelmente do Alto Pardal, mas não da forma que aconteceu. Não só Tommen foi completamente manipulado, como ele decreta que agora a Coroa e a Fé trabalham juntas para o bem do reino. O povo pareceu gostar, mas os Lannisters e os Tyrell não estão nada felizes. Como bem pontuou a Rainha dos Espinhos: “Isso significa que eles venceram”. E nós aqui achando que Jaime ia fazer um resgate incrível. Os nobres de Porto Real vão ter que ralar muito pra fazer algo agora que o Alto Pardal está controlando Tommen mais do que nunca. Será que essa escolha quase ingênua do rei vai trazer sua morte?

Como se todas essas surpresas não fossem o bastante, Jaime também é meio que “expulso” da guarda, não podendo mais atuar em Porto Real. Tommen o manda para as Terras Fluviais, o que me deixou bem empolgada. Primeiro porque é uma grande chance de colocar o Jaime da série de volta nos passos do livro, além de que pode ser finalmente o momento que a série vai começar a fazer Jaime perceber que sua relação com a Cersei é bem complicada. No livro, Jaime tem um desenvolvimento incrível e não está nem perto de Porto Real nessa altura do campeonato, ele reflete sobre várias coisas que fez na vida, além de que sua relação com Cersei já está longe de ser o que está sendo mostrado na série. Brienne também está indo falar com os Tully, então será que teremos um reencontro? Sem contar que quem leu o livro tá vibrando na cadeira com a possível aparição de outro personagem.

gotmp091615ep606-26461jpg-65344a_765w

Os Frey estão de volta, mostrando de novo porque odiamos tanto essa casa. Aparentemente com o retorno de Peixe Negro, as casas estão largando suas alianças com os Frey e voltando a ficar do lado dos Tully. A vingança do Casamento Vermelho parece estar cada vez mais próxima, ainda mais agora que os Tully talvez ajudem Sansa e Jon a conquistarem Winterfell. Também vemos Edmure, que pra quem não lembra, é o irmão da Catelyn que ia casar com a moça Frey depois que Robb quebrou sua palavra. Ele foi um dos únicos sobreviventes do Casamento Vermelho e ficou preso todo esse tempo. Os Frey vão tentar usar ele como chantagem para cima de Peixe Negro, mas o lorde Tully provavelmente vai dar um jeito de vencer essa disputa.

Enquanto tudo isso acontece, Meera continua arrastando Bran pra longe dos Walkers. É bem interessante ver que Bran está vendo vários eventos passados, e quem sabe comece a ver o futuro em breve. As visões do rei louco me fazem ter fé que a temporada ainda vai voltar para a Torre da Alegria e nos dar a confirmação que nós tanto queríamos no terceiro episódio. Meera quase se dá por vencida, mas antes que os Walkers acabem com os dois, uma figura misteriosa aparece e os salva.

Na próxima cena, descobrimos que essa pessoa é na verdade Benjen Stark, uma versão meio zumbi dele que não virou Walker graças às Crianças da Floresta, que fizeram com ele um processo parecido que usaram para criar os Walkers. Será que Benjen é uma nova versão de Walker, que pensam e falam como humanos, mas estão na verdade mortos? De qualquer forma, o novo Benjen agora serve os propósitos do Corvo e acho que podemos ficar tranquilos por enquanto que Bran e Meera estarão seguros.

Nos livros, existe um personagem chamado Coldhands que aparece pela primeira vez no terceiro livro. Ele salva Sam e Gilly dos Walkers e mais tarde guia Bran e os outros até o esconderijo do Corvo. Não sabemos muito bem quem é Coldhands, só sabemos que um dia ele foi um membro da Patrulha e no livro alguém sempre se pergunta sobre sua identidade, dando a ideia de que é uma revelação importante para o futuro.

got606112315hsdsc16091jpg-d49403_765w

A teoria mais plausível sobre a identidade de Coldhands é ele ser Benjen Stark. Pra quem não lembra, ele é o irmão mais novo de Ned que foi fazer parte da Patrulha. Ele desaparece no primeiro livro/primeira temporada e nunca mais sabemos dele novamente, o que nos faz acreditar que ele provavelmente foi morto por Walkers. Nós sabemos que Coldhands também morreu dessa forma, então das opções atuais, Benjen era o único que se encaixaria e faria a revelação ter algum peso na história. O problema é que duas coisas quebram essa teoria: A primeira é que as Crianças da Floresta dizem que Coldhands morreu há “muitos anos atrás”, o que não seria o caso de Benjen, e segundo que uma editora tinha perguntado para George Martin se Coldhands era Benjen e ele disse que não. Sinceramente eu sempre achei uma chance perdida não fazer Coldhands e Benjen serem a mesma pessoa.

Na série ninguém nunca diz a palavra “Coldhands”, mas pra quem só acompanha pela série isso pouco importa e pra quem leu o livro é fácil de perceber que esse Benjen da série e Coldhands são meio que o mesmo personagem. Os dois ajudam Bran e os dois servem o Corvo. No livro ele sempre cobre o rosto e foi assim que ele apareceu na série pela primeira vez. Achei bom eles não tentarem manter o mistério, na hora que o ator apareceu eu já reconheci Benjen, então não faria muito sentido guardar isso para outro episódio. Eu sinceramente fiquei bem feliz que a série seguiu a teoria de Benjen ser Coldhands, mesmo que no livro isso não seja verdade ou não funcione, mas não dá pra negar que isso foi um pouco de fanservice.

Pra terminar temos uma cena curta da Daenerys mostrando quem é que manda. Eu amo ver Daenerys mandando em tudo, principalmente com seus dragões, mas sinceramente não vi muita necessidade nessa cena. Nós já sabemos que ela tem um exército muito forte, se não o mais forte atualmente, e que os dothraki amam a Rainha dos Dragões agora. Tudo bem que fazer aquele discurso montada em um dragão com certeza garantiu que os dothraki vão lutar por ela até a morte, mas já não sabíamos disso? Acaba me parecendo mais do mesmo. A cena serviu mesmo para estabelecer duas coisas para o público: Que ela agora definitivamente vai voltar para Westeros e que ela precisa de muitos navios. Conveniente considerando que não só Yara pode ter ido para lá, como Euron também está construindo vários navios novos e quer casar com Daenerys. Uma aliança entre Targaryen e Greyjoy parece cada vez mais provável.

Originalmente postado em Ideias em Roxo

%d blogueiros gostam disto: